Filmes de terror dos anos 80 que continuam insuperáveis

Filmes de terror dos anos 80 que continuam insuperáveis

2 de novembro de 2023 0 Por Hugo Lamego

Você já se perguntou o que torna o terror dos anos 80 tão atraente e ainda tão popular? Reunimos os inesquecíveis e os intocáveis pelo tempo.

Podemos resumir os anos 80 em duas palavras: inovação e criatividade. Uma época em que os cineastas experimentaram novas técnicas de efeitos especiais e maquiagem, resultando em filmes com visuais marcantes.

Esse momento do cinema foi responsável por introduzir muitos ícones do terror. Esses personagens se tornaram parte do imaginário popular e ajudaram a solidificar os filmes de terror como um gênero duradouro.

Para muitos fãs de filmes de terror, os anos 80 evocam uma sensação de nostalgia. Esses filmes muitas vezes são vistos como clássicos cult que capturam a essência da época.

No entanto, quantos deles você assiste com frequência, como se fosse algum tipo de ritual? Clássicos, como O Iluminado ou Videodrome: A Síndrome do Vídeo, tendem a aparecer como favoritos, mas nem sempre são escolhidos para reprises.

Selecionamos os filmes de terror mais repetíveis dos anos 80 e as razões pelas quais os escolhemos para fazer parte desta lista.

POLTERGESIST: O FENÔMENO (1982)

Poltergeist, de Tobe Hooper, nada mais é do que um clássico filme de terror dos anos 80, que viu os Freelings experimentando poltergeists e outros fenômenos paranormais em sua casa suburbana. Quando a pequena Carol Anne desaparece misteriosamente, os pais decidem procurar a ajuda de investigadores e de um médium.

Por que é insuperável?

Poltergeist pertence a uma série de filmes que parecem Spielberg, mas não são dirigidos por ele, e é difícil relembrar os anos 80 sem considerar o papel de Spielberg na criação de todo o visual. Também tem ótimos efeitos especiais que continuam ótimos e sequências de efeitos práticos que merecem ser apreciados.

O ENIGMA DE OUTRO MUNDO(1982)

O Enigma de Outro Mundo, de John Carpenter, é um clássico de terror de ficção científica que não foi verdadeiramente apreciado pelo público e pela crítica em 1982. Claro, tinha E.T. O Extraterrestre naquele verão.

Em retrospecto, podemos confirmar que o épico de terror de ficção científica de Carpenter é excepcional e fica melhor a cada nova exibição. Na trama pesquisadores da Antártica descobrem que seu grupo foi “contaminado” por um parasita que muda de forma vindo do espaço.

Por que é insuperável?

Este é um dos filmes mais bem elaborados de Carpenter. Tem sangue e coragem suficientes para satisfazer os cães sangrentos e apresenta efeitos especiais que ficam melhores a cada nova exibição. Além disso, você poderia exercitar a imaginação para chegar a uma teoria sobre seu final aberto.

A HORA DO PESADELO (1984)

Em A Hora do Pesadelo, o mestre do terror Wes Craven apresentou ao público um tipo diferente de monstro. Um vilão que dominava seu ambiente de tal forma que era impossível fugir dele. Rondava os sonhos dos adolescentes em Springwood e tinha como alvo os filhos daqueles que o julgaram e condenaram.

Freddy Krueger não é apenas o assassino de pesadelos cheio de cicatrizes, com chapéu e luva com lâminas afiadas. Ele é um produto do ódio, usando seu estado mais vulnerável para se vingar.

Por que é insuperável?

Krueger é um ícone da cultura pop e, como todos eles, é fascinante ver de onde ele veio. O filme tem mortes muito criativas (sim, é aquele em que um buraco na cama expele litros de sangue). Além disso, é uma celebração do estilo de terror dos anos 80.

GREMLINS (1984)

Gremlins conta a história de Billy Peltzer, cujo pai lhe dá um animal de estimação como presente. Ele só precisa seguir algumas regras: o Mogwai não pode ficar exposto à luz, não pode se molhar e não pode comer depois da meia-noite.

Obviamente, as regras foram quebradas e, das costas do pequeno Gizmo, criaturas horríveis emergem e causam estragos em Kingston Falls. Billy se sente responsável, então ele faz tudo o que está ao seu alcance para caçar as criaturas malcomportadas.

Por que é insuperável?

Cada nova exibição de Gremlins é como uma festa de reencontro com os melhores amigos. O filme é realmente divertido e engraçado, e não tem medo de entrar em território assustador quando as pequenas criaturas ganham poder e causam um caos. Além disso, tem aquele toque de Spielberg que tanto gostamos dos anos 80.

A HORA DO ESPANTO (1985)

A Hora do Espanto, de Tom Holland, é impecavel! Na trama Charlie Brewster fica desconfiado de seus novos vizinhos. Ele é paranoico o suficiente para encher seu quarto com alho e até entra em contatar uma personalidade da TV local para ajudá-lo a caçar o vampiro da casa ao lado.

O problema é que Peter Vincent é apenas isso, uma personalidade de TV e não Van Helsing. Mesmo assim, ele decide ajudar Charlie, apenas para descobrir que o jovem estava certo.

Por que é insuperável?

Tem Jerry Dandridge, um dos vampiros mais legais e sexy de todos os tempos. Sua performance é uma representação moderna do vampiro clássico. Ele é um cara mau, mas é verdadeiramente magnético.

Peter Vincent, o falso caçador de vampiros, é um dos melhores personagens do cinema de terror, e Evil Ed será sempre engraçado, não importa quantas vezes você assista ao filme. Ah, e por último mas não menos importante, aquela sequência de danceteria com a música Good Man in a Bad Time de Ian Hunter, enquanto Jerry seduz a namorada de Charlie, Amy, é excepcional.

A MOSCA (1986)

A versão de 1986 de The Fly é frequentemente chamada de vagamente baseada no filme de 1958 de mesmo nome. Não vemos a semelhança. No remake de David Cronenberg, o Dr. Brundle cria uma máquina de teletransporte que realmente funciona. Quando chega a hora de testá-lo, uma mosca entra no casulo e o código genético se confunde. Lentamente, e graficamente, ele começa a se transformar em uma mosca monstruosa.

Por que é insuperável?

Este é tudo sobre efeitos. Na verdade, você pode jogar um jogo de bebida sempre que Seth Brundle parecer pior. Isso inclui espinhas gigantes, ácido saindo da boca e… bem, você vai descobrir. É um dos filmes mais atraentes de Cronenberg, e é provável que você se sinta conectado ao tom sentimental do filme a cada nova exibição.

ALIENS, O RESGATE (1986)

A continuação de James Cameron ao clássico de Ridley Scott, Aliens, traz Ripley de volta para lutar contra um xenomorfo, só que desta vez os fuzileiros navais estão ao seu lado, e supostamente eles podem lutar contra a criatura. Bem, o pessoal da Weyland-Yutani Corporation deveria ter pensado melhor em vez de tentar o mesmo método de antes, sobre o qual Ripley os alerta.

Por que é insuperável?

Não parece um incômodo ou uma longa jornada. Aliens é mais um filme de ação com muitas piscadelas para o terror e apresenta efeitos especiais de última geração. Passa rapidamente e mostra Ripley melhorando seu jogo de ser a personagem durona que ela sempre deveria ser.

UMA NOITE ALUCINANTE 2 (1987)

A continuação de Sam Raimi do filme surpreendentemente eficaz é muito diferente do que esperávamos. Uma Noite Alucinante 2 pega o conceito do filme anterior e faz o mesmo com um orçamento maior.

Raimi corria riscos, mas acreditava tanto na ideia que apenas deu mais personalidade ao Ash de Bruce Campbell e aumentou o tom da comédia. O resultado é uma sequência/reinicialização inesquecível que muitos consideram melhor que o filme original de 1981.

Por que é insuperável?

Bem, é extremamente engraçado. Este é o show solo de Campbell como o atormentado Ash, que passa de vítima a herói sem muito controle de seus atos. Com o estilo frenético de edição de Raimi, a fisicalidade da performance torna-se única.

Também aumenta o conteúdo sangrento, criando uma festa que os fãs da franquia revisitam constantemente para rir e bater palmas sempre que necessário.

A HORA DO PESADELO 3: OS GUERREIROS DOS SONHOS (1987)

Foi apenas uma questão de tempo até decidirmos adicionar algumas sequências à lista, porque de que adianta falar dos anos 80 se não adicionarmos sequências, uma das melhores coisas do terror dos anos 80.

A Hora do Pesadelo 3 é um favorito dos fãs que conta a história de adolescentes em uma clínica do sono que começam a ser atacados por Freddy Krueger em seus pesadelos. Mas há um porém: eles podem ser poderosos o suficiente para combatê-lo.

Por que é insuperável?

É um dos melhores filmes da franquia que não parece uma iteração da mesma história. Além disso, conta com roteiro de Wes Craven, Bruce Wagner, Frank Darabont e Chuck Russell, o que significa que o filme é muito bem escrito. Também tem um dos melhores filmes de Freddy em todo o universo de Elm Street.

Dica de post: A jornada dos Efeitos especiais e visuais no cinema

A BOLHA ASSASSINA (1988)

A Bolha Assassina, de Chuck Russell, é um remake do filme de ficção científica de terror de 1958, de Steve McQueen, e conta a história de maneira semelhante. Russell incorpora alguns elementos da época e acaba fazendo com que pareça bem anos 80, com Kevin Dillon arrasando.

No filme, a pequena cidade de Arborville, Califórnia, é atacada por uma criatura gigante gelatinosa que tem o poder de engoli-lo inteiro e dissolver todas as partes do seu corpo. Claro, Brian de Dillon assume o comando e tenta defender sua cidade natal.

Por que é insuperável?

Os efeitos especiais são muito bem feitos e ainda resistem. Além disso, tem um tom pouco visto no terror dos anos 80: considerando que o filme é sobre um gigante… bem, uma bolha de gosma que mata pessoas, não é engraçado e não pretende ser engraçado. Além disso, é muito violento, o que é raro num filme deste calibre e valor.

BRINQUEDO ASSASSINO (1988)

Outra escolha de Tom Holland, Brinquedo Assassino, viu Andy Barclay pedindo um brinquedo pelo qual ele era obcecado. A mãe dele faz o que está ao seu alcance para encontrar o boneco.

Andy recebe o presente e fica impressionado com a capacidade de comunicação do boneco. Só que o espírito de um assassino acaba preso dentro de seu boneco, chamado Charles Lee Ray, e ele fará de tudo para possuir Andy e voltar ao nosso reino.

Por que é insuperável?

É o nascimento de Chucky! Não há nada melhor do que rever a origem de um de seus ícones de terror e se deliciar em vê-lo causar estragos em todos que ousarem cruzar seu caminho. Além disso, os efeitos especiais são legais o suficiente para satisfazer sua sede pelos efeitos dos anos 80 e suas belas falhas.

Dica de post: Brinquedo Assassino (1988) | 15 curiosidades

CEMITÉRIO MALDITO (1989)

Cemitério Maldito, de Mary Lambert, conta a história de um pai que incontrolavelmente é vítima da única coisa que lhe dá esperança: trazer de volta seu filho morto. A adaptação do livro de Stephen King é cheia de pavor e carrega o mesmo espírito que o escritor fez questão de incorporar no livro: desta vez, deixar Gage morto foi realmente melhor.

A dinâmica da família também é perturbada por alguns acontecimentos do passado, cujos fantasmas ainda perduram nos pesadelos cheios de culpa da mãe (todos representados por Zelda, uma personagem de terror aterrorizante que você jamais esquecerá).

Por que é insuperável?

Cemitério Maldito é uma das adaptações de King que parece subestimada, o que é estranho considerando o quão assustador é, não importa o que alguns digam sobre isso. Tem a grande sequência da tragédia com o menino, e um terceiro ato insanamente eficaz que vai te deixar desconfortável pelo seu imaginário. Este é um dos poucos filmes de terror que poderia melhorar a cada nova exibição.

Fonte: FirstShowing