Vidas em Jogo (1997) | Já assistiu?

Vidas em Jogo (1997) | Já assistiu?

Em Vidas em Jogo, O banqueiro Nicholas Van Orton (Michael Douglas) recebe um presente de seu irmão (Sean Penn) em seu aniversário de 48 anos: um convite para um jogo que, se ele concordar em jogá-lo, vai mudar sua vida.

Os títulos de abertura de Vidas em Jogo se quebram em peças de quebra-cabeça, sinalizando que o filme levará seu título literalmente, ao passo que embarcamos em uma viagem intrigante, aterrorizante e emocionante para Nicholas e os espectadores.

Uma ficção multifacetada e um pesadelo estiloso, a obra-prima loucamente lúcida de David Fincher é também um estudo psicológico sagaz de uma mente em perigo e uma sátira do capitalismo contemporâneo. Que é ainda mais atual hoje do que quando estreou em 1997.

Dica de post: As mentiras contadas pelo cinema

Nunca houve outro filme como esse, Fincher revela sua personalidade criativa mais plenamente aqui do que em qualquer outro trabalho. Estamos levando em consideração Clube da Luta (1999) e A Rede Social ( 2010).

Igualmente fascinante é o fato de que a empresa enigmática que conduz o enredo de Vidas em Jogo, Consumer Recreation Services, pode ser vista como uma versão espelho da própria indústria cinematográfica de Hollywood.

Um dos funcionários confronta o protagonista Nicholas Van Orton (Michael Douglas) com perigos, armadilhas e truques parecidos com filmes, mas, como Fincher observou certa vez, “ele não age como uma estrela de cinema. Ele foge, enlouquece, entra e xinga. Ele sabe exatamente o que está acontecendo e não tem ideia do que está acontecendo.”

Vidas em Jogo
Jim Feingold (James Rebhorn) no filme Vidas em Jogo

O filme começa com um prólogo que esboça verdades básicas sobre Nicholas Van Orton, um banqueiro frio. Sua qualidade mais humana é a maneira como ele se apega às lembranças de seu pai, que cometeu suicídio em seu aniversário de 48 anos, mas essas mesmas lembranças atrofiaram a vida de Nicholas, tornando-o um solitário mal-humorado.

A história começa em seu aniversário de quarenta e oito anos, quando seu irmão, Conrad (maravilhosamente interpretado por Sean Penn), aparece inesperadamente, trazendo um convite da CRS como presente.

Conrad (Sean Penn) no filme Vidas em Jogo

O tédio e a curiosidade levam Nicholas a situações fora de sua rotina. Após um dia de intensos testes físicos e psicológicos, ele está pronto para receber o que a empresa oferece; tudo o que ele pode tirar do executivo da CRS Jim Feingold (James Rebhorn) é que o serviço funciona “como um clube experimental que ele pode cancelar quando quiser.

Dica de post: A jornada dos Efeitos especiais e visuais no cinema

Como muitas outras coisas que Nicholas vai ouvir e ver, isso prova ser uma mentira. Mas é uma mentira que precisa ser contada, já que Nicholas precisa muito da punição que CRS e Fincher reservaram para ele.

Nicholas Van Orton…

Nicholas Van Orton (Michael Douglas) no filme Vidas em Jogo

Nós já sabemos que ele merece essa punição – ele trata suas secretárias com fria condescendência e impiedosamente corta os laços com antigos sócios. A outra qualidade definidora de Nicholas é sua obsessão, o que o torna determinado a vencer o Jogo em vez de fugir quando suas consequências potencialmente mortais se tornarem claras.

Essa característica o liga ao sociopata que Fincher colocou tão bem na tela em Se7en, como os profissionais motivados em Zodíaco (2007) e a hacker em A Garota com a Tatuagem do Dragão (2011). A obsessão é um tema-chave no trabalho de Fincher, e Vidas em Jogo explora com humor e perspicácia.

Vidas em Jogo
Nicholas Van Orton (Michael Douglas) e Christine (Deborah Kara Unger) no filme Vidas em Jogo

Escolher Michael Douglas para interpretar Nicholas foi uma decisão criativa que está entre as melhores de Fincher. Exatamente uma década antes, Douglas havia feito duas performances icônicas: seu Dan Gallagher em Atração Fatal (1987) de Adrian Lyne tornou-se sinônimo do homem americano ameaçado, e seu Gordon Gekko em Wall Street (1987) de Oliver Stone era o avarento empresário moderno por excelência.

Dica de post: Curtindo a Vida Adoidado | Diálogos inesquecíveis

Nicholas não é um cara normal como Gallagher, mas à medida que seu castigo acaba, ele se sente tão exposto e ameaçado quanto Gallagher. E antes de começar, ele poderia ser o gêmeo ligeiramente mais sutil de Gekko, tão isolado da realidade por dinheiro, poder e arrogância que sua vida se tornou um jogo muito antes do Jogo entrar em sua vida.

Douglas transmite sua transformação gradual de patrício satisfeito para plebeu profundamente abalado com o brio de um superstar que também é um ator maravilhosamente talentoso.

Vidas em Jogo é a confirmação de Fincher como um dos planejadores mais meticulosos de Hollywood – cada quadro, corte e movimento de câmera contribui para a arquitetura elegante do filme – e como um verdadeiro mago técnico com um talento insuperável para combinar efeitos especiais e “realidade” em um todo contínuo e dinâmico.

O design de som mistura o clamor de São Francisco, o clima de filme de suspense e a trilha sonora de Howard Shore em uma evocativa sinfonia urbana que energiza ainda mais as imagens cinéticas do filme.

A cinematografia fluida de Harris Savides e a edição apurada de James Haygood também são indispensáveis, e Fincher é o maestro que reúne tudo, deixando cada elemento deslumbrar o olho, o ouvido e a mente sem ofuscar a história envolvente que serve.

Vidas em Jogo é um dos filmes de punição mais satisfatórios, uma mudança no clímax repleta de ironia, tensão e ousadia cinematográfica.

Dica de post: Os personagens mais famosos dos anos 80

Resumindo…

Vidas em Jogo pertence a essa minoria de filmes de Hollywood que realmente pedem que você preste atenção e depois o recompensa com surpresas constantes – até mesmo procurar por buracos na trama faz parte da diversão – com várias recompensas no final.

O filme é uma entrada chave na obra cada vez mais impressionante de Fincher, um entretenimento experiencial que sugere que os limites entre verdade e ilusão são muito mais nebulosos do que gostamos de pensar.

Para os espectadores de primeira viagem, Vidas em Jogo é um passeio selvagem e fascinante; para quem o vê várias vezes, sua estrutura labiríntica, visuais inspirados e humor ricamente irônico continuam rendendo novas surpresas.

Fonte: The Criterion, IMDB

Hugo Lamego

Publicitário - Especialista em Comunicação Empresarial | Apaixonado pelos clássicos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.