Por que você deveria assistir Clube da Luta estrelado por Brad Pitt e Edward Norton?


Clube da Luta (1999) não é simples, e para os distraídos pode ser interpretado como um filme de ação. A estreia decepcionante e a prova de um julgamento erroneamente generalizado. A violência é apenas um atalho, existe toda uma jornada para os atos de terrorismo anticapitalista.

Na trama um agente de seguros (Edward Norton) está à beira de um colapso. Em uma viagem, conhece Tyler Durden (Brad Pitt), misterioso e cheio de ideias que acaba mudando toda a sua percepção sobre a vida.

Por que você deveria assistir Clube da Luta? Um misto de psicose com uma viagem vertiginosa. Uma crítica ao consumismo. Um filme que começa literalmente no cérebro do narrador, formado por diálogos tóxicos e uma escuridão que vai escapando aos poucos. Existe todo um discurso, mas a violência é um dos destaques. As cenas são realistas, um dos poucos filmes que apresenta a real consequência de levar um soco.

A direção de David Fincher destrói qualquer ilusão de segurança, as dúvidas são ancoradas por imagens subliminares e falsos direcionamentos. Como nas cenas de luta, cada diálogo é um soco. O filme faz parte da trilogia não oficial do diretor, que teve início com Seven, seguida de The Game e finalizada com o Clube da Luta.

O elenco é uma loucura organizada. Edward Norton está completamente destruído, e faz isso com excelência, mas Brad Pitt renasce com um personagem com doses de sedução, glamour e perigo. Tyler Durden é um pedido de socorro da sociedade, uma imagem subversiva. Um carismático anarquista que evoca Norman Bates e sua mãe.

Toda destruição precisa de uma detonação. Alguma coisa que crie essa conexão e consequentemente a fatídica ignição. Marla (Helena Bonham Carter) funciona como esse elemento, mesmo que de maneira inconsciente. Sua bagunça, desperta algo que precisava de libertação.

Existe uma dança autodestrutiva, um expurgo de tudo o que é belo ( o personagem de Jared Leto entendeu isso). Todos os personagens se esforçam para não serem mais uma peça, cada um tem uma identidade, uma característica. Não necessariamente isso é algo positivo ou negativo. Apena é o que é.

Resumindo. Parece uma loucura, mas Edward Norton e Brad Pitt não se espancam por nada, existe a necessidade de exorcizar as frustrações, em sua loucura, são elementos de mudança. Um mosaico, brilhante e irracional.

A verdade é que Clube da Luta pode ser interpretado como um apelo fascista para uma geração anestesiada, uma sátira sobre como são os homens ou uma história de amor homoerótica. O mais importante, você vai questionar tudo, e isso é muito bom, significa que o filme teve um efeito.

(Fonte: IMDB, YouTube)

Se você gostou desse artigo e gostaria de muito mais, compartilhe (clique em alguns dos links ao lado). Ou…

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que mais gostou no artigo, alguma dica ou até mesmo uma crítica. Sempre é legal uma interação.

Leia mais sobre a Categoria Especiais.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *