Todos os atores que contribuíram para a construção de Bond, James Bond




Introdução…

Já se passaram 50 anos desde que Sean Connery pronunciou pela primeira vez a frase Bond, James Bond, e não existe dúvida que naquele exato momento o cinema ganhou mais cor e sensualidade. Estamos falando de um filme que se transformou em um gênero em si, um ícone do cinema moderno e da cultura pop.

Cada ator contribuiu de uma maneira para a fama do personagem e atualmente ninguém questiona quem seria o melhor Bond ou pelo menos não deveria. Na verdade isso seria impossível, já que 007 é o reflexo de uma geração. Além de todo um elenco de vilões e Bond Girls. Foram 56 atrizes, dentre elas as belíssimas Ursula Andress, Kim Basinger, Talisa Soto, Denise Richards, Halle Berry e Gemma Arterton.

Como disse, cada ator contribuiu de alguma maneira. Sean Connery com seu estilo sarcástico; George Lazenby um toque de frieza; Roger Mooure por trazer humor; Timothy Dalton por ser fiel aos livros; Pierce Brosnan por modernizar e por último Daniel Craig, que deixou de lado todas as parafernálias.

Muita coisa mudou desde que o ex-agente da  Inteligência Naval Britânica Ian Flemming criou o superagente, mas entre altos e baixos James Bond atravessou e sobreviveu aos 50 anos com muito estilo e nada mais justo do que uma homenagem a altura de todos esses atores.

Os atores…

Sean Connery

Thomas Sean Connery ainda é considerado pela maioria como o melhor Bond, isso é aceitável já que foi o primeiro e conseguiu explodir nas bilheterias com O Satânico Dr. No. Na época com 32 anos, fechou um contrato de seis anos que o obrigava a realizar quantos filmes fossem realizados no período.

O ator interpretou o personagem em sete produções, mas oficialmente são reconhecidas apenas seis, já que 007 Nunca Mais Outra Vez não faz parte da cronologia Bond por ser considerada uma refilmagem de 007 Contra a Chantagem Atômica.

George Lazenby

George Robert Lazenby protagonizou apenas um filme do agente, mas conseguiu ser o ator mais amado e odiado. Talvez o que mais humanizou 007, dando um toque de frieza que incomodou muita gente. A arrogância ultrapassou as telas e começou a ter problemas com a equipe de filmagem.

Roger Moore

Roger George Moore teve a difícil tarefa de superar o fantasma de Connery e conseguiu. O ator foi o que mais atuou na série e acabou ficando marcado como o eterno espião. Lembrando que ele atuou em “007 Contra o Foguete da Morte” que teve algumas cenas filmadas no bondinho no RJ.

Moore como Craig foi questionado em relação ao visual, teve que perder peso para entrar no perfil do agente secreto. Conseguiu agradar por dar um jeito mais humorado ao espião.

Timothy Dalton

Timothy Peter Dalton tentou ingressar como James Bond em 1969, mas foi recusado por ser muito jovem. Teve a sua grande chance quando Moore se aposentou.

Inicialmente Brosnam iria assumir o papel, mas por sorte o ator estava ocupado com outras produções. Foi contratado para três produções, mas por problemas judiciais seu contrato expirou. Trouxe um tom mais realista e sério, bem diferente da versão de Moore.

Pierce Brosnan

Pierce Brendan Brosnan foi o grande responsável por modernizar o espião. O ator protagonizou quatro filmes da série, importante lembrar que “007 Um Novo Dia Para Morrer” conseguiu vencer Harry Potter da semana de estreia.

Brosman é um caso interessante, resgatou um pouco de cada um dos seus antecessores e criou uma versão moderna e eficaz de 007.

Daniel Craig

Daniel Wroughton Craig o atual e o mais violento de todos. Foram três produções (contando com Skyfall) e todas fazendo questão de deixar de lado as engenhocas.

O ator foi um dos mais criticados por não ser bonito o suficiente para o papel, mas calou as críticas com o sucesso explosivo de “Cassino Royale” e por reinventar o espião.

especiais-james-bond-50-anos-imagem

Resumindo…

Antes de terminar essa viagem, confira as capas da GQ em comemoração aos 50 anos do Agente Secreto. São seis no total e cada uma homenageando os atores que fizeram e fazem parte da história de 007.

Agora é sua vez de escolher o melhor. Um pouco complicado? O mais importante de tudo isso é nunca esquecer a lei mais sagrada: “vodka martini batido, nunca misturado”.

(Fonte: IMDB)

Leia mais sobre a categoria Especiais.


VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *